sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Primeiros dias

Primeira mamada!!
O Levi nasceu dia 21-08, no dia 23 já estávamos em casa, a noite que passamos no hospital foi muito cansativa, toda hora entrava alguém ou pra tirar a temperatura do Levi ou para medir minha pressão... enfim, hospital...nos primeiros dias os bebês dormem quase que o tempo todo, o Levi só dormia e mamava, na primeira noite ele durmia no peito, só que quando colocávamos ele no bercinho ele começava a resmungar(isso com 1 dia de vida!!Rs), quando pegava ele e colocava no peito ele dormia ou seja estava fazendo meu peito de chupeta, eu estava super cansada e o Cristiano também, precisávamos dormir, então eu pedi pro Cristiano ir até a farmácia, comprar uma chupeta, foi a nossa salvação...rss, ele já saiu da maternidade de chupeta, nunca fui contra chupeta, desde que bem usada, chupei chupeta até 5 anos de idade e nunca precisei usar aparelho nos dentes.
Sempre tive o sono leve, depois que o Levi nasceu então nem se fala, qualquer fungadinha dele eu acordava. Foi já no primeiro dia que aprendi uma coisa: quando se é mãe você realmente nunca mais dorme direito, por mais que o bebê durma a noite toda você, mãe, sempre acorda pra vê se ele tá dormindo direito, se tá coberto ou simplesmente pra ver se ele está respirando(Faço isso quase todas as noites nos últimos 3 meses...).
Os primeiros dias com um bebê em casa não são fáceis, pelos menos não foram para mim...eu estava cheia de paranóias:Será que ele mama o suficiente??Será que vou ter muito leite??Será que estou trocando a fralda direito?Será que ele vai ter alergia ao meu leite??Será que ele vai ter cólica?Será que estou limpando o umbigo direito?

Primeiro dia em casa, ele sobrava dentro da cadeirinha, hoje quase não cabe mais aí dentro...
Nossa....eu sofria por antecipação, era horrível, ficava o tempo todo ansiosa, com medo do que estava por vim.O Levi nunca ficou uma noite inteira acordado, nos primeiros dias acordava para mamar umas 3 vezes e dormia, o que eu mais tinha raiva era dessa história de colocar para arrotar..Afff!!Às vezes ficava 15 minutos balançando ele no colo e nada do menino arrotar, e eu tinha medo (pra variar!) de colocar ele no carrinho sem arrotar, e quando ele não arrotava eu já começava a ficar paranóica:Será que ele tem algum problema??Rss!Só depois fiquei sabendo que se o bebê não arrotar nos primeiros 5 ou 10 minutos provavelmente não arrotará e se colocarmos ele pra dormir e ele ficar se mexendo é só pegá-lo no colo que ele ira arrotar(aconteceu várias vezes com o Levi...).Nos primeiros dia eu fiquei muito cansada, não estava acostumada a acordar tantas vezes de madrugada, sempre dormi muito bem e sempre gostei de dormir muito, mas isso fazia parte de uma vida sem bebê em casa, tinha que me adaptar a vida com meu filhote do lado e no começo foi bem difícil...
Nos primeiros dias eu via sair do meu peito apenas um pouco de leite, aí lá vem a paranóia me rondar: Será que tenho pouco leite?? (Mesmo sabendo que no começo sai apenas o que se chama de colostro). Mas esse paranóia durou apenas uns dias...De uma hora para outra meus peitos dobraram de tamanho, de tanto leite!!Rss!Chegava a doer, estavam super doloridos, aí veio outra preocupação: Com tanto leite assim será que não vai empredar?? Eu era a paranóia em pessoa, e tudo que acontecia eu corria para o “Santo Google” para pesquisar, aí que eu ficava preocupada mesmo...eu tinha tanto leite que de madrugada acordava para tirar leite porque não estava agüentando de tanta dor, depois vou fazer um post sobre amamentação, uma coisa que parece muito simples, mas algumas vezes se torna o terror de muitas mães, e eu fui uma delas...
Ser mãe é uma aprendizagem diária, quando estava grávida achava que seria tudo tão simples, não me dava conta de que minha vida nunca mais seria a mesma.

Algumas considerações...

Depois de ter passado pela experiência da gravidez, parto e pós-parto, gostaria de deixar algumas dicas e fazer algumas considerações.
Durante a gravidez sempre quis fazer um curso preparatório para o parto, aqueles cursos de gestante, mas sempre enrolei e quando ligava nos hospitais já tinha passado o dia ou na data não dava para o Cristiano ir comigo, então acabei não fazendo...não senti tanta falta na hora da parto, mas na hora de amamentar, Jesus do céu...então minha dica é que se puderem façam pelo menos um curso sobre amamentação, para aprenderem a forma certa que o bebê tem que mamar e várias outras coisas importantes que só nos damos conta que são importantes quando precisamos delas(apesar do Levi ter mamado na primeira hora de vida, tive alguns probleminhas para amamentar, depois eu conto essa parte)...Pra quem não pode ou não tem tempo tem um curso de gestante on-line bem legal que dá algumas dicas importantes, é só se cadastrar e assistir os vídeos:www.bebe.com.br
Fazer atividade física também foi muito bom para mim, adorei fazer hidroginástica, mas uma caminhadinha já ajuda. Também achei super importante ir ao nutricionista, ela me deu várias dicas e com um programa alimentar comia nos horários certos e isso também diminuía os enjoos, fora que é super importante, nos gravidinhas, comermos corretamente, nossos bebês depende totalmente de nos!
Quando fiquei grávida descobri o que era uma doula, porque até então não sabia da existência delas, rs, pensei em contratar uma, cheguei até a marcar horário com algumas, mas para variar nunca dava certo. Não senti tanta falta de alguém comigo na hora do parto, até me senti aliviada por não ter contratado uma doula, porque na hora do trabalho de parto eu não queria ouvir ninguém, e se estivesse com alguém do meu lado me falando o que fazer talvez teria ficado estressadíssima...pode funcionar para algumas pessoas, mas acho que pra mim não daria certo, mas acho lindo o trabalho delas!
Ter um parto normal dói??As contrações doem muitoooooooooooo, mas o parto em si não!Pelo menos comigo foi assim, tive 4 horas de trabalho de parto e fiquei apenas10 minutos no centro cirúrgico até o Levi nascer, não senti dor quando ele nasceu, mas sim um alívio porque assim que ele nasceu às dores cessaram, parecia que nada tinha acontecido. Na segunda força que eu fiz ele nasceu, foi muito rápido. As pessoas me perguntam:E aí, seu próximo filho você vai querer parto normal?? E eu respondo: Com certeza!! É claro que falo isso hoje, porque um dia depois do parto o Doutor Petrus entrou no quarto e perguntou se queria outro parto normal e eu respondi: Deus me livre Enquanto eu lembrar desse não!É exatamente isso que acontece com o tempo você vai esquecendo da intensidade, claro que eu não esqueci que dói muito, mas hoje as dores que veem a minha memória são bem menos intensas do que 3 meses atrás...
Apesar da dor vale muito a pena, não só pelo pós-parto, mas pela sensação de ter ajudado ativamente seu filho a vir ao mundo, não existe sensação melhor que essa... Meu pós-parto foi tranquilíssimo, não tive problema algum. Assim que saí do centro cirúrgico perguntei se eles serviam jantar naquele horário(O Levi nasceu 02:55 da manhã...rss), estava morrendo de fome, eles falaram que não, mas que minha dieta era liberada.O Cristiano saiu e comprou um monte de besteiras para comermos, fomos para o apartamento comer chocolate, biscoito recheado...Se tivesse feito uma cesária estaria com uma dieta restrita, teria que esperar não sei quantas horas a anestesia passar para poder ir para o quarto com o meu bebê.No outro dia estava tomando banho sozinha, me sentia um pouco fraca, é claro, mas nenhuma dor.
Também quero indicar meu obstetra, Doutor Petrus Leonardo, pra quem é de Brasília e deseja muito um parto normal ou natural ou até mesmo cesária indico esse médico de olhos fechados, um grande profissional, super atencioso, prestativo, calmo. O único problema é que ele não aceita convênio nenhum e a consulta é um pouco cara, mas vale muito a pena!Ele atende na Clínica Sago, que fica no anexo do Hospital Brasília(Lago Sul)
Tenha sempre mais de uma opção de hospital para o parto, conheça os hospitais que aceitam seu convênio, porque eu confiei que ia ganhar no Hospital Brasília e nem me preocupei em conhecer outros. Tive meu bebê no Hospital das Clínicas que fica na 910 Sul, não conhecia, mas fui muito bem tratada por todos, gostei muito!
Quero indicar três livros, um eu li durante a gravidez e os outros dois depois que o Levi nasceu, mas se puder leiam os três durante a gravidez, pelo menos para mim foram muito úteis: O primeiro que li quando estava grávida é Simplesmente Grávida, livro descontraído pra dá umas boas risadas e relaxar. Os outros dois são: Os Segredos de Uma Encantadora de Bebês e Soluções Para Noites Sem Choro, esses dois últimos me deram dicas preciosas que se tivesse lido durante a gravidez teria me preparado melhor para o que me esperava quando o Levi nascesse...rss...
Não espere muito para tirar fotos profissionais (se for fazer isso...), queria ter tirado fotos profissionais de barrigão, queria ter tirado com umas 39-40 semanas, o Levi nasceu de 38 semanas, ou seja, nada de foto...rss...

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Continuando...

Continuamos na mesma sala com um monte de gente, e nada da médica aparecer para me examinar, o Cristiano ligou para o Doutor Petrus e ele falou que iria entrar em contato com a médica, passou-se uns 15 minutos e a bendita médica apareceu, ela me levou para outra salinha e foi fazer o tal exame de toque, ela fez o exame e disse que eu já estava com 3 cm de dilatação e que iria ficar  internada, na hora que ela virou as costas minha bolsa estorou, e eu fiquei brava, perguntando pra ela se tinha sido ela que tinha estourado a bolsa, e ela falando que não, que ela não fazia isso...vai saber se é verdade...rss... aí sim comecei a sentir dor de verdade...um pouco antes da médica me examinar eu pedi para o Cristiano ir na farmácia comprar algumas coisas que estavam faltando(já começava a acreditar que só sairia dali com meu Levi nos braços...), minha mãe ficou comigo.Passado uns 10 minutos a médica volta e fala que o hospital está lotado, que não inha como eu ficar internada, nessa hora eu já estava em outro planeta, por causa das contrações, eu não acreditava no que estava ouvindo:Como assim??Vocês esperam eu entrar em trabalho de parto para poderem me falar q eu vou ter q procurar outro hospital???


Eu tentava conversar com a médica mais não conseguia, as contrações estavam vindo uma atrás da outra, eu me debruçava sobre a cama, não tem como explicar direito como é essa dor, ela vem e volta, como se fosse uma onda, quando ela passa(por alguns segundos..) vc tem noção do que está acontecendo, mas quando elas voltam é uma dor que não tem como explicar.Me falavam que as contrações eram parecidas com cólicas de menstruação, nem de longe, é muitoooooooo pior, e olha que sempre tive muita cólica.Pois bem, nesse momento de desespero sem saber para onde ir, o Cristiano some com minha irmã e meu cunhado, e minha mãe, tadinha, desesperada, tentando ligar pra eles para poder avisar que teríamos que ir para outro hospital.Nesse momento o Doutor Petrus me liga falando que já tinha tentado vaga em outros hospitais, mas que o único que ele tinha conseguido era o Hospital das Clínicas(parece que todas as grávidas de Brasília tinham resolvido parir no mesmo dia...rss), antigo HGO, nunca tinha ouvido falar, mas falei que ia pra lá, era o jeito, já tava pensando em ir até para o hospital público...nisso nada do Cristiano aparecer, eu já tava me desesperando:Meu Deus, sonhei tanto com esse momento e tá dando tudo errado, nem hospital pra ter meu filho eu consigo!!
E o Doutor Petrus me ligando, pedindo para eu ir para o hospital, e Cristiano não aparecia com minha irmã e eu já não me agüentava de tanta dor... Até que depois de uns 20 minutos minha mãe conseguiu falar com eles e eles vieram correndo (só depois eles me falaram que estavam no Mc’Donalds, é mole??), até hoje não sei como consegui chegar no carro de tanta dor.Era uma cena muito estranha, eu gemia, gemia de dor, esperneava, e de repente estava sem sentir nada, conversava normalmente(no vai e vem das contrações).Até que enfim conseguimos chegar nesse bendito hospital, nessa hora eu já não via mais nada, só pedia ajuda...rss...pedia ajuda para todo mundo que passava por mim...rss...muita dor gente, uma coisa que só Deus mesmo, até hoje não sei como consegui passar por aquilo...E o pior, chego no hospital e não posso subir para o apartamento porque tenho q fazer uma ficha(bendita burocracia)...aí fico lá no meio de todo mundo morrendo de dor, eu não conseguia ficar parada, agachava, colocava as mãos no joelho, puxava os cabelos, apertava a mão do Cristiano(ele disse que não sabia de onde eu tinha tirado tanta força...rss).Juro que se visse uma mulher fazendo aquilo que eu tava fazendo pensaria bem se iria querer parto normal...rsss...na hora que vinham as contrações eu olhava para o Cristiano e pedia para ele me ajudar...rss...tadinho, ele era a única pessoa que eu queria que ficasse comigo(até porque ele é a calma em pessoa).Minha irmã, tadinha, tava mais nervosa que eu, minha mãe tava sem cor e meu cunhado só observava...rss
Até que enfim o Douto Petrus chegou, eu agarrei na mão dele e pedia pra ele me ajudar, falava que não agüentava mais, que queria uma cesária (olha até onde chegou a minha dor!!), e ele naquela calma toda:Calma, vamos para o apartamento e lá a gente conversa.E eu:Eu não quero conversa, quero um remédio, pelo amor de Deus!!
Hoje eu morro de rir, mas na hora a minha vontade era de desmaiar, é muita dor, muita mesmo, uma coisa inexplicável. Até que depois de muita burocracia conseguir ir para o quarto... Gente eu não conseguia ficar em posição nenhuma, sem dúvidas a pior de todas é deitada, a “menos pior” era abaixada com as mãos no joelho, e nessa posição eu fiquei, segundo o Cristiano, por 2 horas debaixo do chuveiro!Pra mim foram 10 minutos...Ficar debaixo do chuveiro, com água quente, é uma das coisas que realmente diminuem um pouco a dor, nessa hora eu já estava fora de mim, eu me tremia inteira e as contrações não tinham mais intervalos, era uma atrás da outra.Nessa hora eu achava que não ia dá conta, e o Doutor Petrus lá comigo, o tempo todo, me incentivando, falando que eu estava indo muito bem, que iria dá tudo certo, um anjo!!E o Cristiano tbm, sempre me apoiando, se não fosse eles não teria conseguido...

Eu tava tão fora de mim, que teve uma hora que ele pedia para eu controlar a respiração e eu gritava que não queria respirar!Rss!!Nada do que eu li consegui colocar em prática na hora do parto, não conseguia controlar a respiração, nem ficar de cócoras (tinha lido que umas das melhores posições, mas nem em sonho conseguia ficar nessa posição), enfim na teoria é tudo muito lindo, muito fácil, mas na prática...
A pior hora era quando tinha que fazer o tal do toque para ver com quanto de dilatação eu tava, tinha que deitar na maca (pior parte!!) e ainda fazer força quando vinha uma contração.
Teve uma hora que sem forças supliquei para ele me dá um remédio, e ele me falava que se me desse alguma coisa poderia atrapalhar o trabalho de parto( e eu também em uma das nossas conversas do pré-natal tinha falado pra ele que mesmo se eu pedisse, pq eu sabia que a dor seria muita, era para ele intervir o mínimo possível...)enfim, ele deixou as coisas acontecerem como eu queria, não o que pedia naquele momento de dor, mas oq eu tinha pedido quando estava lúcida e agradeço por muito por ele ter agido dessa forma!
Até que teve uma hora em que ele foi fazer o toque e falou o que eu tanto queria ouvir:Dilatação total, vamos para o centro cirúrgico.Já estou pegando no seu bebê!
Que maravilha ouvir aquilo!!Acho que se demorasse mais um pouco eu não conseguiria...
Fui levada rápido para o centro cirúrgico, quando as contrações vinham me dava vontade de fazer força!Meu bebê estava nascendo!!Meu Deus!Estava com medo, mas muito feliz, afinal, passei quase 9 meses esperando ansiosa por esse momento.Chegamos no centro cirúrgico, me lembro que tinha um rádio ligado, tava passando uma música do Bruno e Marrone,rsss, não era bem essa música que sonhei como música de fundo para o nascimento do meu filho, mas tudo bem...os enfermeiros me colocaram em uma cama e ficaram lá arrumando as coisas, e eu lá com aquela dor horrível, eles passam por mim e me olhavam como se nada tivesse acontecendo, e eu pensava:Meu Deus eu vou morrer de dor aqui e niguém faz nada!!Rss...eles não tinham o que fazer, só esperar...
Aí o Doutor Petrus chegou e falou que quando viesse uma contração era pra eu fazer força, nessa hora também chegou a pediatra, acho que o nome dela era Sandy, muito carinhosa, me ajudou bastante também, apesar de eu ter super grossa com ela...rss...mas também estou eu lá morrendo de dor e ela vem me perguntar pra que time eu torço???
Só sei que senti uma contração bem forte e fiz força, senti que meu bebê estava chegando, eu não senti dor, apenas como se estivesse queimando, sei lá...rss...na segunda contração, fiz força e meu Levi nasceu, é difícil tentar descrever esse momento.
Assim que ele nasceu colocaram ele em cima de mim, até hoje me lembro de como ele era quentinho e me lembro do cheiro dele, eu não sabia o que fazer, tentava pegar nele, olhar as mãozinhas, os pés, meu Levi, estava ali, perfeito, nesse momento o mundo parou...Só agradecia a Deus por tudo ter dado certo, pela vida do meu filho, MEU FILHO!!!E o Cristiano ali do meu lado, ficamos parados olhando nosso milagre...até que pegaram ele para fazer os exames.Como ele nasceu de parto normal não precisou ser aspirado( : mas não teve como fugir do colírio de prata e da injeção de vitamina K...):
 Em umas das contrações na hora do nascimento!Minha cara de louca!!Rss!

 Assim que levaram ele de mim...

O Levi naceu tão limpinho que não precisou nem tomar banho.Assim que ele foi levado pedi para o Cristiano ficar de olho, não desgrudar dele...rss...ele quase não chorou ao nascer.Na sala do lado eu ouvia o Cristiano falando:Não falei que ele tinha um furo no queixo igual ao meu!!(Isso tudo porque ele teimava em falar que na ecografia ele tinha visto que o Levi tinha o furo no queixo...rss).
Enfim tive o parto do jeito que sempre quis, sem nenhuma intervenção, nada de ocitocina, anestesia, corte, pessoas empurrando minha barriga, meu Levi nasceu na hora e do jeito que ele quis e eu me sentia muito orgulhosa de ter proporcionado isso a ele!!
 Minha cara de tranquilidade depois do parto, como se nada tivesse acontecido!Rss!

E a partir daquele momento uma criatura de 2.750 kg e 46 cm passou a ser meu universo inteiro!

sábado, 20 de novembro de 2010

O parto...

Entre a 35 e 36º semana comecei a sentir umas cólicas chatinhas, principalmente a noite, às vezes acordava assustada achando que tinha chegado a nossa hora, que nada, logo as cólicas passavam e voltava tudo a normalidade ):  Estava super ansiosa, queria que meu bebê nascesse logo, todos os dias olhava as roupinhas do Levi, olhava a bolsa pra ver se estava tudo certo e já estava entediada de tanto durmir...rsss...Falando em roupa, nossaaaaa, que loucura por roupa de criança me acometeu...rss.Achei que seria mais controlada, mas tudo que vejo de lindo quero comprar para o Levi, durante a gravidez conheci uma marca de roupas de criança pela qual me apaixoneiiii, Carters, tem cada roupinha linda de viver, não é uma marca nacional e as pessoas que vendem em lojas  aqui no Brasil cobram um preço um pouco salgado, mas logo arrumei uma menina no orkut que viaja todo mês para os EUA e vende com um preço bem mais acessível, aí já viu né...

Mas enfim, aquele barrigão já estava me cansando, também não aguentava mais levantar de madrugada para fazer xixi!!Rss!Acho que essas levantadas de madrugada para ir ao banheiro durante a gravidez já é uma preparação para as noites mal dormidas que estão por vim com a chegada do baby.
Não tinha mais posição para dormir, de todos os lados eu sentia algum incomodo...
Achava engraçado quando ele começava a soluçar na minha barriga...rss...mas tbm morria de agonia...uma coisa que estava me incomodando bastante era um dor no umbigo, nossaaaaaa, era muito ruim, parecia que ia abrir, sei lá, uma sensação ruim.

Nessas últimas semanas as visitas ao obstetra passaram a ser semanais e nessa época o Doutor Petrus deixou de atender no Guará e só estava atendendo no anexo do hospital Brasília. Na 35º tive que fazer o famoso exame de TOQUE...rss...pense... no dia da consulta estava super ansiosa, mas não foi tãooooooooo ruim assim, e é muito rápido, ainda bem...incomoda, mas não doí...Um fato engraçado que não posso deixar de registrar:  vocês acreditam que o Cristiano entrou junto comigo na hora do médico fazer o exame de toque??Kkkkkkkkkkkkkkkk!!Só esse meu marido mesmo viu, e o pior ainda ficou batendo papo com o médico, que situação meu Deus...enfim...o médico disse que eu tinha uma bacia média, não era a ideal para parto normal, mas que o bebê era pequeno e isso facilitava bastante a nossa vida e ele também já estava encaixado, na posição certinha de nascer!!( :
Nessa época conversei com o Doutor Petrus sobre a possibidade de o parto ser em outro hospital, já que ele faz parto no Hospital Brasília, eu até gosto de lá, sempre vou à emergência, mas já haviam me falado que o hospital não tinha muita estrutura para parto normal e tbm os enfermeiros e auxiliares não eram muita a favor do parto humanizado, fiquei com a pulga atrás da orelha, mas ele acabou me convencendo de que lá seria melhor, porque ele atende lá então seria mais fácil.... Enfim... Passa a 35º, 36º, 37º chegamos a 38º semana e 4 dias, dia 20 de agosto de 2010.Estava em casa entediada, sem poder fazer nada com aquele barrigão, quando de repente sinto uma coisa estranha, vou ao banheiro e vejo que tive um pequeno sangramento, fiquei todaaa feliz!!Será que enfim chegou o dia de conhecer meu Levi??Liguei para o Doutor Petrus, mas ele não atendia, liguei para o Cristiano e pedi para ele ficar tentando falar com ele, enquanto isso liguei no celular da esposa do Doutor Petrus, falei com ela e ela disse que iria tentar falar com ele e iria pedir para ele me retornar a ligação, eu estava um pouco ansiosa, mas super calma, afinal não estava sentindo nenhuma dor.Fui tomar banho, me arrumar, tomei um banho demorado, quente, conversando com o meu Levi, afinal poderia ser meu último banho de barrigão e meu último banho longo...rss e realmente era, mas eu achava que não seria naquele dia.Quando sai do banho o Doutor Petrus me ligou e eu falei para ele o que tinha acontecido, ele disse que podia ser ínicio de trabalho de parto, mas tbm poderia ser um deslocamento de placenta,  e que preferia que eu fosse na emergência do Hospital Brasília para ele me examinar, isso era 16:00 hs, só fui sair de casa para ir para o hospital 19:00 hs...rss...estava com medo de chegar lá e ficar internada, com medo deles quererem me dá remédio, já que eu queria o mínimo de intervenções possíveis, queria chegar quase ganhando bebê...rss...e foi quase isso que aconteceu...
O Cristiano tava trabalhando, liguei pra ele e falei que estava indo para o hospital, mas que tinha certeza que não seria nada e que o Levi não iria nascer naquele dia, rss...ele só falou assim:Mesmo assim já leva as bolsas.Ok...Minha irmã foi me levar no hospital junto com meu cunhado e minha mãe, eu estava super tranqüila, minha irmã super desesperada(pra variar..rss) e minha mãe apreensiva.Fomos conversando no carro, rindo, contando história, tudo normal, tinha pedido para o Cristiano ir direto do trabalho para o hospital, ele já tava me esperando lá.Quando estávamos quase chegando no Hospital o doutor Petrus me ligou e disse que não estava mais no hospital, mas que já tinha deixado um recado para a obstetra de plantão, se eu estivesse mesmo entrando em trabalho de parto ela avisaria pra ele e ele iria para o hospital, fiquei um pouco receosa, outra médica me examinar? E se ela quiser me medicar?E se quiser fazer uma cesária?Rss!
Quando nos aproximamos do hospital comecei a sentir cólicas leves e de repente comecei a sentir uma coisa quente entre as minhas pernas, achei que a bolsa tinha estourado, mas só depois descobri que “aquilo” era o tal do tampão que estava saindo e eu realmente estava em trabalho de parto. Cheguei ao hospital, encontrei meu marido lindo e ficamos lá esperando atendimento, enquanto isso as cólicas aumentavam, eu toda hora ia ao banheiro e comecei a perceber um pouco de sangue, daí já comecei a acreditar que realmente meu bebê poderia estar chegando...até esse momento estava rindo, conversando, tudo tranqüilo e lindo...rsss.Daí demorou um pouco para me atenderem, fui começando a ficar um pouco nervosa, até que me chamaram, mediram minha pressão, que estava ótima, e me levaram pra uma sala com um monte de gente, já achei estranho...o Cristiano entrou comigo, e começamos a marcar no relógio, as contrações estavam vindo de 3 em 3 minutos, depois de 4 em 4, 6 em 6, estavam meio inregulares e aumentando de intensidade, achei que aquilo que estava sentindo eram as temidas contrações, de fato era, só que aquilo era só o início....
Levi acabou de acordar, no próximo post termino de contar minha saga!!

A gravidez!

Sempre sonhei com a maternidade, mas não achava que aconteceria assim, de repente...Achava que iria planejar tudo, até o dia do nascimento...rss...doce engano, meu Levi chegou sem pedir licença, veio e encheu nossas vidas com muito amor, foi ele quem nos escolheu...
Como já falei tive uma gravidez super tranquila, quando comecei a trabalhar na UNB já estava com 3 meses de gestação, trabalhei só 1 mês e a UNB entrou de greve e assim ficou por 6 meses!!Rss...passei minha gravidez inteira sem fazer nada...só curtindo meu bebê crescer, mexer e se remexer na minha barriga.Na 9º semana levei um susto, tive um pequeno sangramento e fiquei desesperada, chorava sem parar, na mesma hora fiz o Cristiano ligar para o meu obstetra, que na época era o Doutor Ubatan, depois falo sobre a mudança de obstetra, Cristiano conversou com ele e ele disse que era normal, me pediu repouso, mas eu não conseguia nem dormir com medo de acontecer alguma coisa com meu bebê, aí resolvemos ir na emergência do Hospital Bsb, chegando lá o médico fez uma ecografia e pude ouvir o coração do meu bebê...Ufa!Que alívio saber que estava tudo bem com meu grãozinho de ouro.Ele me pediu um exame de sangue porque desconfiou que eu estava com o nível de progesterona baixo, quando saiu o resultado eu realmente estava com o nível um pouco abaixo do normal, tive que tomar Ultragestan até a 13º semana, mas foi tranquilo, foi apenas um pequeno susto, depois pesquisando na internet (claro!!) vi que isso é bem comum, aí fiquei mais tranquila!!
No começo enjooei de tudo que eu gostava, não conseguia nem ver leite com Toddy(meu vício!hehe) e nem comia chocolate(só estando grávida mesmo pra deixar de comer chocolate...) só tinha vontade de comer frutas(comia quase um abacaxi inteiro sozinha e adorava chupar limão...rss), salada,  beber suco e chupar picóle de limão(fiquei viciada!).Li em algum lugar que quando enjoamos de alguma coisa é o corpo nos protegendo de possíveis complicações, não sei se é verdade, mas no começo só sentia vontade de comer coisas saudáveis...só no começo....rsss...Nos primeiros meses não ganhei o peso adequado e tive que ir em uma nutricionista para pode ganhar peso...rs...depois meu médico brigava comigo porque já estava engordando demais.E como eu fiquei sensível quando estava grávida, chorava por nada!!Quando digo por nada é por nada mesmo, de repente me dava uma vontade de chorar , aí eu choravaaaaaaaaaaa e depois tava tudo bem...aiai viu, mulher é bicho estranho, grávida então....Estar grávida é bom demais, ainda mais quando começamos a sentir o bebê mexer na barriga, me lembro da primeira vez que senti o Levi mexendo, adivinhem o que eu fiz??Choreiiiiii!!Rsss!!Quando ele começava a mexer na minha barriga cantava aquela musiquinha do filme Madagascar:"Eu me remexo muito, eu me remexo muito..." Rss!!(Mãe surtada essa minha, devia pensar o Levi).
As primeiras consultas foram com o Doutor Ubatan, ele atende no Centro Clínico Sul, foi uma decepção, sempre quis parto normal, cheguei lá falando isso e ele me jogou um balde de água fria, com aquele papo de médico cesarista:Pela sua estatura você provavelmente não terá passagem e etc...Só que eu já tinha lido muita coisa e tentado me informar e nada falava que estatura impedia alguém de ter parto normal...Então fui atrás de outro médico, fui pesquisar na internet (é claro!!) e achei algumas pessoas falando sobre um tal de Doutor Petrus, que ele era defensor do parto normal, peguei o telefone e liguei para marcar uma consulta(melhor coisa que fiz por mim e pelo meu bebê...).Estávamos em dezembro de 2009, ele só tinha vaga para março de 2010, mesmo assim deixei a consulta agendada.

No dia da consulta fiquei surpresa ele era um médico bem novo, super calmo, nos deixou bem a vontade.Na época ele atendia em uma clínica lá no Guará perto de onde morávamos e atendia a noite o que era ótimo porque assim o Cristiano pode me acompanhar em todas as consultas sem problema.Ele me apoio na minha decisão de tentar parto normal(Obaaaaaaa!!!), fiquei apaixonada por esse médico(no bom sentido, é claro!hehehe) e feliz por ter mudado de obstetra e ter achado alguém que realmente me entendesse, ouvisse as minhas dúvidas com a maior naturalidade e me deixasse sempre confiante de que tudo daria certo!!

Sempre rola uma certa polêmica entre parto normal x cesária, eu particularmente só faria cesária em último caso, se não tivesse jeito mesmo, morro de medo de cirurgia, anestesia, essas coisas todas, mas não sou contra quem faz, acho que cada um sabe de si, e não fico tentando fazer com que as pessoas mudem de opinião, ainda mais uma mulher grávida, é uma decisão muito pessoal.Só que é um saco ficar ouvindo comentários de pessoas sem noção:Você é doida?Parto normal??Hoje em dia ninguém que ter mais filho de parto normal, com tanto avanço você ainda que sentir dor para ter seu filho, isso é loucura. Detestava ouvir essas coisas e pensava: Loucura pra mim é ter minha barriga cortada e meu útero também, ficar anestesiada e não participar do parto do meu filho, não poder sentir meu filho junto de mim assim que ele nascesse, morre de dor por vários dias...Enfim, sou supeeeeeeeer a favor do parto normal, mas não crio encrenca com quem pensa o contrário!
E assim segui minha gravidez tranquilamente, sem grandes problemas, com um médico que super me apoiava e feliz da vida de barrigão!(O que é uma coisa maravilhosa, amei minha barrigona e sinto saudades quando vejo as fotos da gravidez)
                                                            1 mês, sem barriga ainda...
                                                             Olha a cara de enjoada...
                                                                   De barrigão!
                                                             Grávidos!
                                         Sete meses!Casamento da minha irmã.

Resolvi fazer hidroginástica e( que era delicioso, pois o Levi mexia muito quando estávamos “pulando” na água) quando estava bem disposta dava umas caminhadas pelo Guará, em algumas delas acompanhada pelo meu maridão que adorava conversar com nosso filhote na barriga!E essa sintonia entre nos três era simplesmente maravilhosa!
E tudo muito tranqüilo até a chegada do dia 21 de agosto de 2010!Que é assunto para o próximo post!!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Depois do baque...

Demorou um pouco pra ficha cair...grávida, um bebê na minha barriga...que estranho, no dia seguinte fui fazer o exame de sangue, e quando estavamos no laboratório colhendo sangue recebi uma notícia maravilhosa, tinha sido nomeada em um concurso público que tinha passado e nem imaginava que seria chamada tão cedo, afinal era cadastro reserva.Isso me deu um novo ânimo, porque na época eu trabalha de contrato no Ibama e não era nada estável, poderia sair a qualquer momento, e também não gostava muito de trabalhar lá não, enfim esse é um outro assunto.Sempre falava que só queria engravidar depois de ser concursada, para ter uma estabilidade e tal...então não faltava mais nada né...rss...foram muitas emoções para um momento só, mas só tenho a agradecer a Deus por ter sido tão generoso conosco e nos ter recompensado com tantas coisas boas!No mesmo dia pegamos o resultado e demos a notícia para a família, foi uma alegria só, ouvimos várias piadinhas, claro né:Eita já??Vocês não brincam não né...rss...e Cristiano se sentindo o homem mais viril do mundo...kkkkkkk...todo orgulhoso...
Tive uma gravidez super tranquila, no começo sentia muito sono, muito mesmo, qualquer lugar que eu encostava durmia na hora...rss...no começo quando ainda não sabia que estava grávida e passava o tempo todo cansada e com sono minha mãe falava que eu estava era com anemia...rss...costumo brincar e falar: A anemia agora tem 3 meses e se chama Levi!Rss!
Minha gravidez não foi planejada, então nos pegou de surpresa em vários aspectos, como por exemplo onde morar agora...o apartamento que no moravámos , no Guará, era bem pequeno, não cabia um bebê ali, aí começou a saga atrás de um apartamento.Quem mora em Brasília sabe como é caro um imóvel aqui, apartamentos minúsculos custam o olho da cara, sem noção, mas fazer o que né...não tinhamos muito tempo para ir atrás de apartamento, oq planejavámos era comprar um apartamento na planta, mas com a chegada do Levi isso era impossível naquele momento...Depois de muita correria, noites mal dormidas sonhando com o quarto do meu filho, medo de ficar sozinha no Guará, afinal minha família mora toda em Planaltina(longeeee), resolvemos morar em Planaltina mesmo(pelo menos por enquanto...)quem não gostou nada foi meu marido, já que passou a gastar 40-50 minutos para chegar no trabalho, antes ele gastava 10....fazer o que né...me senti bem mais segura perto da minha família.

Vida no ventre!

Descobrir que estava grávida no dia 29-12-2009(dia do aniversário do Cristiano, meu marido, que presentão hein?!)...na verdade já estava desconfiada a alguns dias, mas foi só no dia 29 que tive coragem de fazer o teste de fármacia.Quando vi aquelas duas linhas se formarem confesso que fiquei meio sem chão, como assim grávida??Tinha apenas 1 mês de casada, meus planos era filhos para depois de 1 ano ou mais..."Esse teste deve estar errado", pensava eu...rss...sai e entrei no banheiro umas 10 vezes olhando para as benditas listas, em uma dessas entradas e saídas do banheiro dei de cara com o Cristiano que viu a minha cara de desespero, e fez a pergunta:Que foi??Vc tá grávida?? -Estouuuuuuuu(acompanhado de muitasssssss lágrimas, de felicidade, medo, ansiedade e todas emoções possíveis).Ele me abraçou com lágrimas nos olhos e posso dizer que é um momento da minha vida que jamais esquecerei...
 Abaixo foto do teste que mudou minha vida...rss...maridão fez questão de registrar!

1º dia!!

Completamente perdida nesse blog!!Rss...Com o tempo vou pegando o jeito...
Queria ter começado a escrever esse blog no ínicio da minha gravidez, mas fui adiando, adiando e hoje meu Levi já está com quase 3 meses!!(completa dia 21-11).
Ter um filho é uma experiência deliciosa, com todos seus altos e baixos é claro!!Quero passar para vocês como está sendo essa nova etapa da minha vida, que de tão boa que é quero dividir com todos!!
Tá certo que meu Levi já está com 3 meses, mas quero dividir com vocês como foi a época da gravidez(uma fase fantástica!), o parto e os primeiros meses do meu Levizinho!!
Bjos e até o próximo!!