quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Continuando...

Continuamos na mesma sala com um monte de gente, e nada da médica aparecer para me examinar, o Cristiano ligou para o Doutor Petrus e ele falou que iria entrar em contato com a médica, passou-se uns 15 minutos e a bendita médica apareceu, ela me levou para outra salinha e foi fazer o tal exame de toque, ela fez o exame e disse que eu já estava com 3 cm de dilatação e que iria ficar  internada, na hora que ela virou as costas minha bolsa estorou, e eu fiquei brava, perguntando pra ela se tinha sido ela que tinha estourado a bolsa, e ela falando que não, que ela não fazia isso...vai saber se é verdade...rss... aí sim comecei a sentir dor de verdade...um pouco antes da médica me examinar eu pedi para o Cristiano ir na farmácia comprar algumas coisas que estavam faltando(já começava a acreditar que só sairia dali com meu Levi nos braços...), minha mãe ficou comigo.Passado uns 10 minutos a médica volta e fala que o hospital está lotado, que não inha como eu ficar internada, nessa hora eu já estava em outro planeta, por causa das contrações, eu não acreditava no que estava ouvindo:Como assim??Vocês esperam eu entrar em trabalho de parto para poderem me falar q eu vou ter q procurar outro hospital???


Eu tentava conversar com a médica mais não conseguia, as contrações estavam vindo uma atrás da outra, eu me debruçava sobre a cama, não tem como explicar direito como é essa dor, ela vem e volta, como se fosse uma onda, quando ela passa(por alguns segundos..) vc tem noção do que está acontecendo, mas quando elas voltam é uma dor que não tem como explicar.Me falavam que as contrações eram parecidas com cólicas de menstruação, nem de longe, é muitoooooooo pior, e olha que sempre tive muita cólica.Pois bem, nesse momento de desespero sem saber para onde ir, o Cristiano some com minha irmã e meu cunhado, e minha mãe, tadinha, desesperada, tentando ligar pra eles para poder avisar que teríamos que ir para outro hospital.Nesse momento o Doutor Petrus me liga falando que já tinha tentado vaga em outros hospitais, mas que o único que ele tinha conseguido era o Hospital das Clínicas(parece que todas as grávidas de Brasília tinham resolvido parir no mesmo dia...rss), antigo HGO, nunca tinha ouvido falar, mas falei que ia pra lá, era o jeito, já tava pensando em ir até para o hospital público...nisso nada do Cristiano aparecer, eu já tava me desesperando:Meu Deus, sonhei tanto com esse momento e tá dando tudo errado, nem hospital pra ter meu filho eu consigo!!
E o Doutor Petrus me ligando, pedindo para eu ir para o hospital, e Cristiano não aparecia com minha irmã e eu já não me agüentava de tanta dor... Até que depois de uns 20 minutos minha mãe conseguiu falar com eles e eles vieram correndo (só depois eles me falaram que estavam no Mc’Donalds, é mole??), até hoje não sei como consegui chegar no carro de tanta dor.Era uma cena muito estranha, eu gemia, gemia de dor, esperneava, e de repente estava sem sentir nada, conversava normalmente(no vai e vem das contrações).Até que enfim conseguimos chegar nesse bendito hospital, nessa hora eu já não via mais nada, só pedia ajuda...rss...pedia ajuda para todo mundo que passava por mim...rss...muita dor gente, uma coisa que só Deus mesmo, até hoje não sei como consegui passar por aquilo...E o pior, chego no hospital e não posso subir para o apartamento porque tenho q fazer uma ficha(bendita burocracia)...aí fico lá no meio de todo mundo morrendo de dor, eu não conseguia ficar parada, agachava, colocava as mãos no joelho, puxava os cabelos, apertava a mão do Cristiano(ele disse que não sabia de onde eu tinha tirado tanta força...rss).Juro que se visse uma mulher fazendo aquilo que eu tava fazendo pensaria bem se iria querer parto normal...rsss...na hora que vinham as contrações eu olhava para o Cristiano e pedia para ele me ajudar...rss...tadinho, ele era a única pessoa que eu queria que ficasse comigo(até porque ele é a calma em pessoa).Minha irmã, tadinha, tava mais nervosa que eu, minha mãe tava sem cor e meu cunhado só observava...rss
Até que enfim o Douto Petrus chegou, eu agarrei na mão dele e pedia pra ele me ajudar, falava que não agüentava mais, que queria uma cesária (olha até onde chegou a minha dor!!), e ele naquela calma toda:Calma, vamos para o apartamento e lá a gente conversa.E eu:Eu não quero conversa, quero um remédio, pelo amor de Deus!!
Hoje eu morro de rir, mas na hora a minha vontade era de desmaiar, é muita dor, muita mesmo, uma coisa inexplicável. Até que depois de muita burocracia conseguir ir para o quarto... Gente eu não conseguia ficar em posição nenhuma, sem dúvidas a pior de todas é deitada, a “menos pior” era abaixada com as mãos no joelho, e nessa posição eu fiquei, segundo o Cristiano, por 2 horas debaixo do chuveiro!Pra mim foram 10 minutos...Ficar debaixo do chuveiro, com água quente, é uma das coisas que realmente diminuem um pouco a dor, nessa hora eu já estava fora de mim, eu me tremia inteira e as contrações não tinham mais intervalos, era uma atrás da outra.Nessa hora eu achava que não ia dá conta, e o Doutor Petrus lá comigo, o tempo todo, me incentivando, falando que eu estava indo muito bem, que iria dá tudo certo, um anjo!!E o Cristiano tbm, sempre me apoiando, se não fosse eles não teria conseguido...

Eu tava tão fora de mim, que teve uma hora que ele pedia para eu controlar a respiração e eu gritava que não queria respirar!Rss!!Nada do que eu li consegui colocar em prática na hora do parto, não conseguia controlar a respiração, nem ficar de cócoras (tinha lido que umas das melhores posições, mas nem em sonho conseguia ficar nessa posição), enfim na teoria é tudo muito lindo, muito fácil, mas na prática...
A pior hora era quando tinha que fazer o tal do toque para ver com quanto de dilatação eu tava, tinha que deitar na maca (pior parte!!) e ainda fazer força quando vinha uma contração.
Teve uma hora que sem forças supliquei para ele me dá um remédio, e ele me falava que se me desse alguma coisa poderia atrapalhar o trabalho de parto( e eu também em uma das nossas conversas do pré-natal tinha falado pra ele que mesmo se eu pedisse, pq eu sabia que a dor seria muita, era para ele intervir o mínimo possível...)enfim, ele deixou as coisas acontecerem como eu queria, não o que pedia naquele momento de dor, mas oq eu tinha pedido quando estava lúcida e agradeço por muito por ele ter agido dessa forma!
Até que teve uma hora em que ele foi fazer o toque e falou o que eu tanto queria ouvir:Dilatação total, vamos para o centro cirúrgico.Já estou pegando no seu bebê!
Que maravilha ouvir aquilo!!Acho que se demorasse mais um pouco eu não conseguiria...
Fui levada rápido para o centro cirúrgico, quando as contrações vinham me dava vontade de fazer força!Meu bebê estava nascendo!!Meu Deus!Estava com medo, mas muito feliz, afinal, passei quase 9 meses esperando ansiosa por esse momento.Chegamos no centro cirúrgico, me lembro que tinha um rádio ligado, tava passando uma música do Bruno e Marrone,rsss, não era bem essa música que sonhei como música de fundo para o nascimento do meu filho, mas tudo bem...os enfermeiros me colocaram em uma cama e ficaram lá arrumando as coisas, e eu lá com aquela dor horrível, eles passam por mim e me olhavam como se nada tivesse acontecendo, e eu pensava:Meu Deus eu vou morrer de dor aqui e niguém faz nada!!Rss...eles não tinham o que fazer, só esperar...
Aí o Doutor Petrus chegou e falou que quando viesse uma contração era pra eu fazer força, nessa hora também chegou a pediatra, acho que o nome dela era Sandy, muito carinhosa, me ajudou bastante também, apesar de eu ter super grossa com ela...rss...mas também estou eu lá morrendo de dor e ela vem me perguntar pra que time eu torço???
Só sei que senti uma contração bem forte e fiz força, senti que meu bebê estava chegando, eu não senti dor, apenas como se estivesse queimando, sei lá...rss...na segunda contração, fiz força e meu Levi nasceu, é difícil tentar descrever esse momento.
Assim que ele nasceu colocaram ele em cima de mim, até hoje me lembro de como ele era quentinho e me lembro do cheiro dele, eu não sabia o que fazer, tentava pegar nele, olhar as mãozinhas, os pés, meu Levi, estava ali, perfeito, nesse momento o mundo parou...Só agradecia a Deus por tudo ter dado certo, pela vida do meu filho, MEU FILHO!!!E o Cristiano ali do meu lado, ficamos parados olhando nosso milagre...até que pegaram ele para fazer os exames.Como ele nasceu de parto normal não precisou ser aspirado( : mas não teve como fugir do colírio de prata e da injeção de vitamina K...):
 Em umas das contrações na hora do nascimento!Minha cara de louca!!Rss!

 Assim que levaram ele de mim...

O Levi naceu tão limpinho que não precisou nem tomar banho.Assim que ele foi levado pedi para o Cristiano ficar de olho, não desgrudar dele...rss...ele quase não chorou ao nascer.Na sala do lado eu ouvia o Cristiano falando:Não falei que ele tinha um furo no queixo igual ao meu!!(Isso tudo porque ele teimava em falar que na ecografia ele tinha visto que o Levi tinha o furo no queixo...rss).
Enfim tive o parto do jeito que sempre quis, sem nenhuma intervenção, nada de ocitocina, anestesia, corte, pessoas empurrando minha barriga, meu Levi nasceu na hora e do jeito que ele quis e eu me sentia muito orgulhosa de ter proporcionado isso a ele!!
 Minha cara de tranquilidade depois do parto, como se nada tivesse acontecido!Rss!

E a partir daquele momento uma criatura de 2.750 kg e 46 cm passou a ser meu universo inteiro!

Um comentário:

Rose Barros disse...

Nossa que lindo seu relato, está me dando muita força para o meu parto. Estou de 32 semanas e com muito medo, mas agora estou com mais forças. Muito obrigada :)

Rose