domingo, 16 de janeiro de 2011

Correria...

Caramba...como eu sinto falta quando não consigo passar por aqui e postar..Tô viciada no meu bloguinho e no das outras mamães também!
Sábado o Levi conheceu a outra avó dele, a mãe do Cristiano, ela chegou do Rio de Janeiro sábado, ela e o irmão do Cristiano, eles vão passar 15 dias aqui conosco.Estou adorando porque estou conhecendo meu marido através da mãe dele, e olhar de mãe é sempre diferente, ouvir histórias da infância dele, ver fotos do meu amor quando era bebê, saber que o meu Levi puxou a simpatia do pai, minha sogra falou que o Cristiano era igualzinho o Levi quando era bebê, super risonho!Muito legal!Também descobri que o furinho que o Levi tem no queixo ele herdou do bisavó, pai da minha sogra.
 Mudando de assunto, hoje o Levi experimentou suco de laranja lima, acho que não gostou muito não, cuspiu mais do que tomou, mas acho que é assim mesmo né, depois ele acostuma.Essa semana vou ter que me ausentar pela manhã todos os dias e o Levi vai ficar com o papai e com a vovó, eu queria ter armazenado LM para deixar para ele tomar, mas como é díficil tirar o leite, eu tenho muito leite, mas na hora de tirar para armazenar sai muito pouco e eu não tive paciência, no outro posto a Roberta até me perguntou se eu iria conseguir armazenar LM materno para o dia todo...Eu achei que seria mais fácil...Acho que realmente o Levi vai ter que começar a se alimentar com outras coisas ): Vou marcar pediatra para ele me orientar a planejar a alimentação dele da melhor maneira possível! Vai continuar mamando o leitinho da mamãe quando possível, mas em algumas ocasiões ele vai precisar tomar outro leitinho que não o materno, isso é meio dolorido para mim, mas fazer o que, é melhor do que ele ficar com fome...E por coincidência fui ler o blog http://www.comerparacrescer.com/ e vi um post sobre uma matéria que saiu na Folha de São Paulo que me deixou com a consciência menos pesada:
Pesquisa contesta aleitamento exclusivo após 4 meses de idade
Orientação da OMS de 6 meses só com leite materno não tem base científica e pode levar à anemia, diz artigo inglês.Para o Ministério da Saúde, benefícios do aleitamento exclusivo são provados por estudos abrangentes
MARIANA VERSOLATO
DE SÃO PAULO
Contrariando as orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde), pesquisadores agora questionam se a amamentação deve ser exclusiva até os seis meses de idade do bebê.
Os autores afirmam que a introdução de alimentos sólidos a partir dos quatro meses, juntamente com a amamentação, traz benefícios.
Entre eles está o menor risco de a criança desenvolver alergias e doença celíaca (intolerância ao glúten).
O estudo contesta os seis meses indicados pela OMS desde 2001. O Ministério da Saúde segue essa orientação.
Mas, na prática, a duração média da amamentação exclusiva no país é de 1,8 mês, segundo os últimos dados do ministério, de 2008.
O artigo, publicado no periódico “British Medical Journal”, aponta que não há evidências científicas suficientes para que a organização tenha tomado a decisão.
Para Ary Lopes Cardoso, chefe de nutrologia do Instituto da Criança do HC de São Paulo, a amamentação complementar é prática antiga. “Teoricamente, não está errado. Embora não seja o melhor, não vejo problemas.”
Segundo ele, o ideal é que o aleitamento seja feito até os seis meses, mas não se pode tomar uma posição rígida. “Não dá para apregoar coisas impossíveis. É preciso considerar caso a caso.”
Os autores, de instituições como o Childhood Nutrition Research Centre, da University College London, e do Institute of Child Health, da Universidade de Birmingham, também tocam nesse ponto.
Dizem não ser contra a amamentação e apoiar a orientação da OMS, mas afirmam que deve haver interpretações diferentes em cada lugar -em países com alta mortalidade por infecção, a duração pode ser maior.
FALTA DE FERRO
Outro benefício de introduzir alimentos sólidos antes dos seis meses seria uma redução no risco de anemia, já que o cardápio mais variado ofereceria uma maior quantidade de ferro.
Mas, segundo Virgínia Weffort, presidente do Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, os alimentos sozinhos não são capazes de cumprir esse papel em caso de deficiência.
“É precisa investigar a história da mãe, da criança, se é prematura. Nesses casos, é preciso usar medicamentos.”
Weffort afirma que a sociedade de pediatria está revisando estudos para saber se esses remédios, chamados sais ferrosos, devem ser usados também em crianças saudáveis a partir dos quatro meses. A mesma revisão, segundo ela, está sendo feita a respeito da introdução de alimentos nessa idade.
Para ela, no entanto, ainda é preciso haver mais estudos para dizer se a criança que começar a comer aos quatro meses terá mais benefícios. “Se começar nessa idade, a obesidade vai aumentar? Acredito que sim, porque o bebê pode se alimentar mal.”
Danielle Silva, coordenadora de processamento e controle de qualidade do Banco de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueira/Fiocruz, afirma que o leite materno supre todas as necessidades da criança até os seis meses. Se a introdução de alimentos for necessária, diz, deve ser prescrita e acompanhada por médicos.
CRÍTICA À OMSO artigo afirma que a organização baseou a diretriz dos seis meses com leite materno em uma revisão de 16 estudos dos quais só dois eram randomizados.
Lilian Espírito Santo, assessora sobre aleitamento materno da área da saúde da criança do Ministério da Saúde, afirma que a recomendação foi seguida e tomada a partir de estudos sérios e abrangentes.

Olha a cara de lerdo!!Vovó Cristina!

Primeiro banho com a vovó!

Primeiro suquinho, com a vovô!!

Um comentário:

RENATA disse...

Oi Dayane!
Muito interessante esse post!
Essa semana eu lí em um blog outro que falava exatamente o contrário, as razões para não introduzir os alimentos antes dos 6 meses... Ou seja, existem correntes que defendem os 2 lados.
Acho que cada criança é única e cada mãe deve agir como achar melhor, né? Eu mesma só vou conseguir amamentar exclusivamente até os 6 meses por que consegui esse período de licença e também o Lucca está ganhando peso e crescendo super bem, mas já ví amigas que tiveram que sair da maternidade com fórmulas...
Não podemos ficar neuróticas!
Fique tranquila que o Levi ficará super bem quando estiver fora!
Beijinhosssssssssss